Combatendo o Cancro com nanopartículas de prata!

Cientistas da UC Santa Barbara têm projetada uma nanopartícula que tem um par de únicas – e importantes – propriedades. Esféricas e prateadas na composição, são envoltas por uma cápsula revestida com um peptídeo, o que lhes permite atingir as células do tumor. Além do mais, a casca é fácilmente quebrada, então as nanopartículas que não atingirem a sua meta podem ser divididas e eliminadas. 

O núcleo da nanopartícula emprega um fenômeno chamado de plasmônica. Na plasmônica, metais nanoestruturados, como ouro e prata, fazem ressoar a luz e concentrar o campo eletromagnético perto da sua superfície. Desta forma, os corantes fluorescentes são reforçados, apresentando cerca de dez vezes mais brilho do que o seu estado natural, quando nenhum metal está presente. Quando o núcleo é gravado, o reforço vai embora ea partícula torna-se fraca.

O Laboratório de Pesquisa Ruoslahti da UCSB também desenvolveu uma técnica de gravura simples, ao usar produtos químicos biocompatíveis para desmontar rapidamente e remover as nanopartículas de prata fora das células vivas. Este método deixa apenas as nanopartículas intactas para imagens ou quantificação, assim revelando as que células têm sido alvos.

“A desmontagem é um conceito interessante para a criação de medicamentos que respondem a um certo estímulo”, disse Gary Braun, um associado de pós-doutorado no Laboratório de Ruoslahti no Departamento de Biologia Molecular, Biologia Celular e do Desenvolvimento (MCDB) e da Sanford-Burnham Medical Research Institute . “Ela também minimiza a toxicidade fora do alvo por quebrar o excesso de nanopartículas para que, em seguida, possa ser processada através dos rins.”

Este método para a remoção de nanopartículas incapaz de penetrar nas células-alvo é único. “Ao concentrar-se sobre as nanopartículas que realmente existem dentro das células”, disse Braun, “podemos então preceber quais as células que foram alvo e estudar as vias de transporte de tecidos com mais detalhes.”

Algumas drogas são capazes de passar através da membrana celular- (membrana da célula por si só), mas muitas drogas, especialmente drogas genéticas de ARN e ADN, são moléculas que são bloqueados pela membrana. Estes medicamentos devem ser tomados através de endocitose, o processo pelo qual as células absorvem moléculas por absorção.

“Isso normalmente requer uma transportadora de nanopartículas para proteger a droga e transportá-la para dentro da célula”, disse Braun. “E é isso que nós medimos: a internalização de uma transportadora via endocitose.”

Como a nanopartícula tem uma estrutura de “shell núcleo”, os pesquisadores podem variar seu revestimento exterior e comparar a eficiência da segmentação do tumor e internalização. Alternando o agente de superfície permite o direccionamento de diferentes doenças – ou organismos, no caso das bactérias – através da utilização de diferentes receptores alvos. Segundo Braun, esta deve transformar-se numa forma de otimizar a entrega do medicamento, onde o núcleo é um veículo contendo a droga.

“Estas novas nanopartículas têm algumas propriedades notáveis ​​que já provaram ser úteis como uma ferramenta no nosso trabalho relacionado com entrega de drogas específicas em tumores”, disse Erkki Ruoslahti, Professor Adjunto de destaque no Centro da UCSB para Nanomedicina e MCDB departamento e da Sanford-Burnham Medical Instituto de Pesquisa. “Também têm aplicações potenciais no combate à infecções. Infecções perigosas causadas por bactérias que são resistentes a todos os antibióticos são cada vez mais comuns, e novas abordagens para lidar com este problema são desesperadamente necessárias. Prata é um agente antibacteriano utilizado localmente e a nossa tecnologia de segmentação pode tornar possível a utilização de nanopartículas de prata, no tratamento de infecções em qualquer parte do corpo. “

Notícia:

A história acima é baseada em materiais fornecidos pela Universidade da Califórnia – Santa Barbara. O artigo original foi escrito por Julie Cohen

 

 

Pedro Santos

Anúncios

Sobre 13moleculasapular

Química (do egípcio kēme (chem), significando "terra") é a ciência que trata das substâncias da natureza, dos elementos que a constituem, das suas características, propriedades combinatórias, processos de obtenção, das suas aplicações e da sua identificação. Estuda a maneira pela qual os elementos se ligam e reagem entre si, bem como a energia desprendida ou absorvida durante estas transformações.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s