A Química Terapêutica da Argila

 

Há uns tempos, após uma lesão, foi-me aconselhada a utilização de argila no tratamento e para tratar os inchaços resultantes. Ao olhar para o pacote onde vinha a dita, deparo-me com um sem fim de fórmulas químicas, e decidi então procurar mais sobre a química por trás dos efeitos terapêuticos da argila. Isto foi o que encontrei:

A argila é uma mistura de vários minerais: Caulinite, Ilite e Montmorilonite, que resulta da metamorfose de rochas naturalmente ricas em sais minerais. É composta principalmente por Silicatos de Alumínio hidratados, no entanto, podem ainda encontrar-se nas argilas outros elementos como o Titânio, Magnésio, Cobre, Zinco, Alumínio, Cálcio, Potássio, Níquel, Manganês, Lítio, Sódio e Ferro. Os constituintes das argilas possuem inúmeros efeitos terapêuticos, dependendo das suas concentrações.

A utilização terapêutica da argila foi uma das primeiras formas de medicina natural conhecida pelo homem, tendo sido usada por numerosas civilizações tanto para uso externo como para uso interno.

A composição mineralógica da argila favorece o desenvolvimento de reações químicas com a água e os minerais nela dissolvidos. A sua estrutura molecular e confere-lhe propriedades de absorção, e libertação dos seus próprios constituintes.
A argila é capaz de absorver água no meio onde se encontra, exercendo por isso efeitos benéficos sobre edemas e inflamações. Esta capacidade de absorção, permite-lhe reter bactérias, toxinas e impurezas e toxinas, substituindo-as por minerais.

A elevada percentagem de Sílica e Alumínio explica as suas propriedades cicatrizantes e anti-inflamatórias. Uma das mais notáveis propriedades da argila é a capacidade de atingir a área do corpo onde é mais necessária. Ao contrário dos produtos químicos que podem destruir tanto os tecidos saudáveis como os doentes e tanto as bactérias benéficas como as patogénicas, a argila atua apenas nos micróbios patogénicos e tecidos lesados, permitindo um rápido restabelecimento da saúde. 

Quanto mais a argila tiver sido exposta ao Sol, ao ar e à água da chuva, mais ativa se torna porque absorve e armazena uma notável parte da energia dos outros elementos, sobretudo do Sol.

Existem diferentes tipos de argila, dependendo da sua composição mineralógica, que lhes confere diferentes cores, propriedades e aplicações. Os principais tipos de argila, mais utilizados e mais conhecidos, são os abordados de seguida:

Argila Verde

É composta por Montmorilonite e Ilite e deve a sua coloração à presença de Óxido de Ferro associado a outros oligoelementos. Pode ser tomada oralmente ou usada topicamente para um grande número de problemas. A Ilite é um desintoxicante poderoso com uma enorme capacidade de absorção. Extrai as impurezas do organismo enquanto os minerais da argila são absorvidos seletivamente por este em função das suas necessidades para restabelecer a saúde.

A argila verde é absorvente, anti-edematosa, desintoxicante, remineralizante, revitalizante, regeneradora, anti-séptica, bactericida, cicatrizante e exfoliante. Elimina toxinas e impurezas e favorece a renovação celular. Permite o aporte à pele e ao organismo de minerais e oligoelementos. Possui propriedades analgésicas
e anti-inflamatórias úteis no alívio de dores articulares e musculares, descongestionando as zonas afetadas, melhorando também a circulação periférica.

 

Argila Branca

É composta por Caulinite, Silício e Alumínio, sendo a mais suave de todas as argilas. O Silício é um componente dos aminoácidos das proteínas da pele e dos cabelos. A elevada percentagem de Alumínio presente na sua composição justifica as suas propriedades cicatrizantes. Utiliza-se em máscaras de beleza pelos seus benefícios sobre a pele e sobre o organismo. Graças ao seu pH neutro, é particularmente bem adaptada ao cuidado da pele. Como não provoca alergias, é adequada à pele sensível dos bebés e pode ser usada como talco. Tem propriedades anti-sépticas, muito úteis para peles irritadas. Pode ser ainda aplicada como máscara capilar para cabelos fragilizados. A argila branca é absorvente, descongestionante, regenera dor a e suavizante. Elimina as toxinas e as impurezas, revitalizando e promovendo a renovação celular.

Argila Amarela

Rica em Silício, Alumínio e oligoelementos como o Ferro e o Potássio, sendo estimulante e tonificante. Reduz inflamações e aumenta a elasticidade da pele, sendo adequada para peles secas e frágeis. Ativa a circulação e combate o envelhecimento cutâneo.

Argila Rosa

É rica em Ferro e outros oligoelementos, sendo recomendada para peles muito sensíveis e reativas. É principalmente usada em máscaras de beleza facial, corporal e capilar. É absorvente, estimulante, anti-séptica e favorece a circulação. Revitaliza a pele, devolvendo-lhe uma luminosidade natural. Auxilia ainda na drenagem de gordura localizada, reduzindo a celulite e a flacidez.

 

Carolina Duarte 12ºCT-B

Anúncios

Sobre 13moleculasapular

Química (do egípcio kēme (chem), significando "terra") é a ciência que trata das substâncias da natureza, dos elementos que a constituem, das suas características, propriedades combinatórias, processos de obtenção, das suas aplicações e da sua identificação. Estuda a maneira pela qual os elementos se ligam e reagem entre si, bem como a energia desprendida ou absorvida durante estas transformações.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s