Um grande passo

          Image          Já pararam para pensar nas diversas utilizações que damos ao petróleo? Pois é, é realmente difícil conceber a vida como a conhecemos sem este bem tão precioso. No entanto, é também de conhecimento geral que o crude (nome dado ao petróleo antes de ser refinado) está em vias de desaparecer. A humanidade usa-o de uma forma descontrolada, e o tempo de formação do mesmo é bastante demorado. Este facto conduz a que uma procura de substitutos para o petróleo seja algo imperativo, e as experiências laboratoriais com vista isso mesmo são muitas. Recentemente, no Pacific Northwest National Laboratory (PNNL), descobriu-se um novo processo que reduz, drasticamente, a quantidade de tempo necessária para produzir crude. Só para terem uma noção, algo que demora cerca de 65 milhões de anos, passa a ser feito em qualquer coisa como uma hora.

          Mas como se processa tudo isto?
A mecânica em si é simples: “basta” criar condições semelhantes às que levariam à formação do crude de um modo natural. Assim, e em primeiro lugar, cria-se uma espécie de pasta que tem por base algas e água. Nada mais. Depois, esta “mistela” é exposta a enormes temperaturas e pressões (cerca de 350ºC e até 3000 PSI) dentro de um reator. Em pouco mais de uma hora, as algas tornaram-se uma mistura de crude, água e produtos orgânicos. Posteriormente dá-se a separação do crude dos restantes materiais e o seu tratamento, de maneira a produzir, através das técnicas de refinaria conhecidas, produtos como a gasolina ou o diesel.

          À muito tempo que se estudavam as algas como fonte de biocombustível. No entanto, o processo de secagem das mesmas era muito dispendioso e demorado. Por isso, passou-se a utilizar algas molhadas, o que contribuiu, largamente, para o sucesso desta experiência, tornando-a menos dispendiosa e mais rápida. Embora este processo seja uma alternativa à prospeção dos solos, é muito mais cara e atualmente menos eficiente do que os métodos normais. Com vista a obtenção de um processo mais viável, esta técnica foi licenciada por uma empresa de biocombustível, na esperança de que se construa uma máquina capaz de fazer face aos métodos usados atualmente.

É esperar para ver…

Carolina Pestana

Anúncios

Sobre 13moleculasapular

Química (do egípcio kēme (chem), significando "terra") é a ciência que trata das substâncias da natureza, dos elementos que a constituem, das suas características, propriedades combinatórias, processos de obtenção, das suas aplicações e da sua identificação. Estuda a maneira pela qual os elementos se ligam e reagem entre si, bem como a energia desprendida ou absorvida durante estas transformações.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s