A Penicilina é feita de bolores!!!

Em 1928, o cientista Alexander Fleming notou, por acaso, o poder germicida de um mofo verde, mais tarde identificado como Penicillium notatum. Este mofo provou-se inofensivo para humanos e animais mas letal para as bactérias, o que levou ao descobrimento da penicilina, considerada “a maior salvadora de vidas da medicina moderna”.

Em termos de estrutura química, as penicilinas contêm um anel activo, o anel beta-lactâmico. Ficheiro:Penicillin-core.png

E todos os antibiótico beta-lactâmicos (penicilinas e cefalosporinas) interferem na síntese de parede celular bacteriana, através de sua ligação com as enzimas PLP. A penicilina agarra-se a um receptor presente na membrana interna  da bacteria (PBP), interferindo com a transpeptidação que dá origem a um peptido estrutural de forma rígida em volta da bactéria. Como o interior desta é hipertónico e as células bacterianas não tem uma parede rígida (porque foi destruída), há afluxo de água do exterior para o interior e a bactéria lisa, isto é, explode.

 Mais tarde m 1945, Fleming e seus colegas Howard Florey e Ernst Chain ganharam o Prêmio Nobel de Medicina por seu trabalho. Desde então, o bolor já forneceu muitas outras substâncias medicinais, incluindo remédios para a doença de Parkinson, tratar coágulos sanguíneos e enxaquecas.

E sabiam que também pode ser usado no vinho? Quando certos tipos de uva são colhidos na hora certa e com uma boa quantidade de fungos em cada cacho, podem produzir  vinhos doces, bastante deliciosos. O bolor Botrytis cinerea, conhecido como “podridão nobre”, atua nos açúcares das uvas, realçando o seu sabor. O mesmo acontece com os queijos brie, camembert ou o queijo azul dinamarquês que devem os seus sabores intensos a certas espécies do bolor Penicillium. Do mesmo modo, o salame, molho de soja e cerveja são produzidos usando certos tipos de bolor.

Estranhamente bom não é?

Ariana Oliveira

Anúncios

Sobre 13moleculasapular

Química (do egípcio kēme (chem), significando "terra") é a ciência que trata das substâncias da natureza, dos elementos que a constituem, das suas características, propriedades combinatórias, processos de obtenção, das suas aplicações e da sua identificação. Estuda a maneira pela qual os elementos se ligam e reagem entre si, bem como a energia desprendida ou absorvida durante estas transformações.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s