Alisamento de cabelo

Todos sabemos que o calor alisa o cabelo, mas quais são os processos químicos por de trás disso?

Antes de percebemos todos os processos químicos por de trás do alisamento do cabelo, precisamos de entender a estrutura dos mesmos. O nosso cabelo encontra-se dividido em 3 partes: a cutícula, o córtex e a medula.

A cutícula é a parte exterior do cabelo e esta região pode sofrer 3 tipos de agressões, a externa, a partir do sol, da chuva e da poluição; a mecânica, através do acto de escovar e pentear o cabelo e a química, a partir das colorações, madeixas e permanentes

A cutícula é composta por 5 a 10 camadas de células, sendo estas vitais na protecção do córtex e também responsáveis pela cor do nosso cabelo.

O córtex é a região intermédia onde se transforma, de todas as formas a estrutura do cabelo, é nesta região que se encontra as seguintes ligações químicas: ligação salina, no simples ato de molhar o cabelo, sendo a sua extensão aumentada; a ligação de hidrogénio: a deformação acontece quando transformamos temporariamente o cabelo: e por fim, a ligação de enxofre rompida através da acção química ou física, sendo a sua transformação permanente.

Por fim, a Medula é a parte central do fio, havendo fios de cabelo que não possuem medula, não modificando em nada sua estrutura. O canal da medula pode estar vazio ou preenchido com queratina.

Durante o alisamento do cabelo são as ligações de hidrogénio que se vão romper. Então, quando os nossos fios de cabelo são aquecidos as ligações de hidrogénio rompem, e através disso, consegue-se moldar uma nova estrutura. Com a destruição das ligações de hidrogénio, o cabelo fica desidratado. Sendo por isso que um cabelo frequentemente alisado e escovado, necessita de muita hidratação, pois o calor faz com que a água dos cabelos evapore.

Assim que lavamos o cabelo, as ligações de hidrogénio restabelecem-se, tendo o nosso cabelo a mesma forma de antes do alisamento.

Durante um alisamento permanente do cabelo, são as ligações de enxofre que são afectadas, sendo as pontes de ligação rompidas, podendo-se então moldar o cabelo para uma nova estrutura. Então, as ligações de enxofre juntamente com o calor recebido vão transformando os fios de cabelo, sendo formada uma nova estrutura.

Assim que lavamos o cabelo, ao contrário do que acontece com as ligações de hidrogénio, as ligações de enxofre não são restabelecidas, ficando o cabelo com a nova estrutura pós-alisamento.

Concluindo, o problema dos alisamentos constantes e dos alisamentos permanentes, é que expomos o nosso cabelo constantemente a condições de muito calor, ficando este gravemente danificado, desidratado, sendo necessário uma forte nutrição e hidratação do cabelo, para não provocar muitos estragos.

 

Joana Martinho 🙂

Anúncios

Sobre 13moleculasapular

Química (do egípcio kēme (chem), significando "terra") é a ciência que trata das substâncias da natureza, dos elementos que a constituem, das suas características, propriedades combinatórias, processos de obtenção, das suas aplicações e da sua identificação. Estuda a maneira pela qual os elementos se ligam e reagem entre si, bem como a energia desprendida ou absorvida durante estas transformações.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s